Doenças respiratórias matam mais no Inverno. Saiba como se proteger

Como estamos a viver a estação mais fria e chuvosa do ano, com ela surgem mais complicações no que toca aos problemas respiratórios. Gripes, asmas, rinites alérgicas, doença pulmonar obstrutiva crónica – DPOC – e pneumonias não são para brincadeiras.

“Em Portugal, as doenças respiratórias continuam a constituir um problema relevante, o que aliás
acontece no resto do mundo.” Quem o diz é António Carvalheira Santos, chefe do Serviço de Pneumologia do Hospital Pulido Valente.

O especialista acrescenta ainda que dentro de cinco anos, “estima-se que elas sejam responsáveis por cerca de 12 milhões de mortes anuais”. De acordo com o especialista, “mais de cem milhões de europeus
sofrem, atualmente, de doença respiratória crónica. Um dado alarmante se pensarmos nas elevadas taxas de mortalidade e incapacidade que a patologia provoca.”

Entre as doenças respiratórias que mais afetam os portugueses encontram-se a DPOC, a asma brônquica, as neoplasias pulmonares, ou as pneumonias.

“A asma e a DPOC atingem mais de 1,5 milhões de portugueses, causando um sofrimento considerável, perturbando e implicando pesados custos diretos e indiretos”, aponta o responsável, ao acrescentar ainda que a prevenção é mais fulcral com a chegada do frio. “É um facto que as doenças respiratórias são mais frequentes no inverno, havendo um aumento da mortalidade por estas doenças nesse período do ano.”

Pode ler o artigo na íntegra em https://bit.ly/34tFPRh.